Na praça ou no parque, você é aquele dono de cachorro que precisa gritar dez vezes o nome do bicho antes de ele vir até você? Ou aquele que precisa dizer três vezes “senta” antes dele responder e finalmente sentar? Para que o cachorro de todo mundo responde imediatamente, menos o seu.

À essa altura, a maioria dos donos frustrados desiste e assume que os seus cachorros são teimosos, respondem apenas quando querem ou são burros mesmo. A verdade, entretanto, é que, mais provavelmente, alguma coisa não deu certo no seu treinamento. Por sorte, você pode arrumar isso com um pouco de trabalho.

O problema do comando irritante

Esse termo é utilizado por alguns adestradores quando alguém repete um comando mais de uma vez. Isso é um erro grave que a maioria de nós comete, porque estamos minando o nosso próprio treinamento!

Quando você ensina um comando para o seu cachorro pela primeira vez, você o fala uma vez. Mas aí aquela maldita coisa chamada impaciência acorda. Seu cachorro acabou de aprender um comando e pode estar pensando, por um segundo ou dois, o que aquela palavra significa. Ou talvez eles esteja em um novo ambiente onde há distrações com as quais ele nunca precisou se preocupar antes. Seja qual for o motivo, seu cachorro demora um pouco (do seu ponto de vista) e você repete o comando. E de novo. Antes que você perceba, você disse a palavra cinco ou seis vezes, e seu cachorro finalmente senta.

Então isso se torna um habito! Logo, você está “comandando irritantemente” quase imediatamente e o fazendo com todos os comandos.

Comandos “envenenados”

Então, o que isso está alcançando do ponto de vista do seu cachorro?

Ele estava a recém aprendendo o que aquele comando verbal significa quando você começou a repetir a palavra. O conjunto de repetições se transformou no comando. O seu cachorro já não responde apenas ao “senta” porque, na sua cabeça, você o ensinou que “senta, senta, senta” era o comando. Então, ele vai esperar por aquele quarto, quinto, sexto “senta”.

Isso funciona para qualquer comando: seu nome, “vem”, “deita”, “fica”.

Às vezes, se o cachorro não conhece bem o comando quando você introduz o comando verbal, ou você ainda não o deixou claro o suficiente, ouvir o comando repetidamente não ajuda seu cachorro a entender o ele significa. Ao contrário, a repetição se torna ruído de fundo para ele, como 99% do tempo em que você está falando. Ele nem vai se dar conta de que você está falando com ele.

Outro erro comum é usar um comando quando não se deve. Por exemplo, se você o chama e então o joga na banheira, no chuveiro, corta suas unhas ou qualquer outra coisa que ele odeia. Assim você o ensina que “vem” significa “coisas que eu odeio”. Essa uma maneira certeira de ensinar seu cachorro a não responder os seus comandos.

Nesse ponto, o comando está “envenenado”.

Como resolver isso

Para contornar essas falhas de treinamento, você terá de voltar vários estágios, antes de ter adicionado os comando verbais e ver se o seu cachorro oferece o comportamento esperado.

Não diga o comando. Quando ele estiver agindo corretamente de novo, você poderá reintroduzir o comando verbal, dizendo-o UMA ÚNICA VEZ.

Se o comando estiver envenenados, será mais rápido treiná-lo novamente se você escolher uma palavra diferente. Por exemplo, “vem” pode ser substituído por “aqui”, “junto”, ou “senta” ou “descansa”. E lembre-se: paciência é indispensável enquanto ele descobre o que os novos comandos significam.

Tenha mais paciência ainda em lugar novos ou com distração com as quais ele não está acostumado quando seu tempo de resposta ser bem maior do que você pensa que deveria seria. Se ele nem mesmo responder, alguma coisa do ambiente o está deixando nervoso ou estressado e repetir o comando não o fará responder! Ao invés disso, deixe-o acostumar-se com o ambiente, mude ou ajuste o ambiente até onde fique confortável e parta daí.

Gostou dessas dicas? Foram úteis? Conte-nos no Facebook e deixe seu comentário! Compartilhe com os seus amigos que estão tendo os mesmo problemas. Boa sorte!